Site acessível em libras
Tamanho das fontes
institucional

Histórico

 

A 30 de setembro de 1978, no recinto da Câmara Municipal de Itararé, o Dr. Basilio de Arruda Mello e sua esposa Maria Teresa Luciano de Mello, propositores da fundação da APAE - Itararé, com total apoio do então prefeito municipal, Floriano Côrtes, através de Assembleia Geral, com a participação de toda comunidade, foi aprovado o estatuto da instituição. Fundou - se a tão necessária APAE.

A primeira sede da APAE era uma casa alugada na Rua Frei Caneca, e então o prefeito da época, Sr. Nehir Carneiro cedeu generosamente as antigas instalações da Escola Eugênio Dias Tatit, para continuidade da APAE em caráter temporário e gratuito  até que fosse edificada a sede própria.

Em 10 de julho de 1994, o então prefeito Laércio Antonio Amado, institui a Lei Municipal nº 2231de 23.03.94 de direito real do uso do solo para que a APAE pudesse dar início às obras da construção de sua sede.

A APAE de Itararé é mantenedora da Escola de Educação Especial “Dr. Névio Samuel Barddal”, atualmente com a sede própria. Atendendo 209 alunos, sendo 14 da cidade do Bom Sucesso de Itararé. É mantida por convênios municipais, estaduais, federais, doações e contribuições de associados.

A APAE de Itararé localiza-se na Vila Santa Terezinha, à Rua José Maria Gomes Gaya, 185, e encontra-se sempre aberta a visitação de toda a comunidade, aproveita também esta oportunidade para agradecer a todos que de uma maneira ou outra ajudam, apoiam e incentivam esse trabalho maravilhoso.         

Missão

 

A APAE atende pessoas com deficiências, na faixa etária de dois meses a 75 anos de idade, com necessidades educativas especiais, como: Síndrome de Down, Síndrome do X Frágil, Síndrome de West, Hidrocefalia, Paralisia Cerebral, Microcefalia, Seqüelas de Toxoplasmose e Rubéola, Mielomeningocele com hidrocefalia, Autismo, Síndrome de Rett, Síndrome de Angelman, Dandy Walker, bem como crianças 0 a 3 anos em situação de risco nutricional e social, associada ao atraso no desenvolvimento neuropsicomotor.

A APAE de Itararé é a única entidade social do Município a prestar atendimento à pessoa com deficiência mental. Oferece atendimento pedagógico (oficinas pedagógicas e alfabetização inicial), programas sociais (estimulação precoce, brinquedoteca, oficinas ocupacionais e pré-profissionalizantes), além de técnicos (fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia, serviço social, nutricionista, neuropediatria, terapia ocupacional e odontologia). Oferece refeições diárias (café da manhã, lanche, almoço, café da tarde), transporte, programas culturais e de lazer (passeios, atividades lúdicas,esportivas e apresentações de danças).

A APAE de Itararé visa desenvolver as potencialidades da pessoa com deficiência, buscando torná-la o mais independente possível, dentro de seus próprios limites através de atendimentos individuais, ou em grupo, terapias de habilitação/reabilitação e orientações familiares e comunitárias sobre a questão das deficiências.

A APAE desenvolve suas ações com o intuito de superar as situações violadoras de direitos, proporcionando uma melhor qualidade de vida a pessoa com deficiência. 

Visão

 

ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Itararé desenvolve suas ações dentro das propostas estabelecidas na Tipificação/ 2009, e de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e das Propostas Orientadoras das Ações Educacionais, Artísticas, Culturais e de Trabalho da Federação Nacional das APAES (FENAPAE) – APAE EDUCADORA, de forma a atender a pessoa com necessidade especial (deficiência intelectual ou múltipla) em sua globalidade, através de programas e projetos específicos para cada área.

Seguindo tais propostas e adaptando-as à nossa realidade, dividimos nossas ações em duas áreas: APAE EDUCADORA e APAE PROFISSIONALIZANTE.

APAE EDUCADORA: Desenvolve atividades educacionais através da “Escola de Educação Especial Dr. Névio Samuel Barddal” (mantida pela entidade APAE), destina-se ao atendimento educacional de crianças, jovens e adultos com necessidades especiais (deficiência intelectual e outra (s) deficiência (s) associada (s) com o envolvimento de suas famílias, em uma perspectiva que contemple a escolarização e os princípios de inclusão social em sua plenitude, dividida em Educação Infantil e Fundamental).

Educação Infantil: destina-se a crianças de zero a seis anos de idade, objetiva o desenvolvimento integral da criança nos aspectos: físico, psicológico, intelectual e social (art. 29 da LDB/96). Esse dispositivo evidencia a convicção de que o processo educacional inicia-se no nascimento da criança e realiza-se como um processo contínuo que contribui para a formação do ser humano, realizado na Fase I de nossas ações, organiza-se por meio do programa: 

Educação Pré-Escolar: destina-se a crianças de quatro a seis anos de idade, visa proporcionar condições adequadas e favoráveis ao seu desenvolvimento nas dimensões física, emocional, cognitiva e social. Na escola especial da APAE Educadora, são elegíveis para ingressar na educação pré-escolar: crianças egressas do programa de estimulação precoce; com deficiência mental associada ou não a outras deficiências e com atraso no desenvolvimento, caso não existam pré-escolas na comunidade. Com o objetivo de vivenciar contrastes auditivos, visuais, táteis, olfativos, gustativos, manipulando objetos do cotidiano, visando integrar com os mesmos. Busca também fazer com que a criança reaja conforme estímulos, utilizando os órgãos dos sentidos correspondentes de forma a observar, sentir, ouvir e utilizar-se dos mesmos para executar ações espontâneas e diferenciadas e mesmo adquirindo independência.

Escolarização Inicial: destina-se a crianças e adolescentes de sete a quatorze anos de idade. Objetiva a formação integral do aluno por meio de sua escolarização. Tem por base a construção de seus objetivos e definições dos conteúdos dos Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental com as devidas adaptações curriculares e complementares que se fizerem necessárias, bem como o desenvolvimento de currículos funcionais de acordo com as necessidades e peculiaridades dos educandos.

Educação para Jovens e Adultos (EJA): esta fase é destinada a educandos acima de quatorze anos de idade, fundamenta-se nas considerações de natureza social, ética e política, considerando a importância dos preceitos legais que garantem o direito de ensino fundamental às pessoas de todas as faixas etárias, de modo a beneficiar os que ultrapassaram a idade de escolarização regular. Orienta-se para a consideração do contexto sociocultural do aluno, visando à aquisição de competências e habilidades que permitam ao aluno uma formação favorável à sua inserção na vida comunitária, bem como iniciativas de alternativas referentes ao mundo do trabalho. Contempla conhecimentos acadêmicos adequados às suas condições pessoais, o domínio da leitura e da escrita, das operações matemáticas básicas e conhecimentos sobre a natureza e sociedade. Focaliza, ainda, conquistas na dimensão cognitiva, além da aprendizagem de valores e atitudes sociais, bem como oportunizar a educação para a cidadania.

APAE PROFISSIONALIZANTE: destinada às pessoas com necessidades especiais - deficiência mental, associada, ou não, a outras deficiências, que por possuírem alterações profundas no processo de desenvolvimento, aprendizagem e adaptação social requerem proposta diferenciada que atenda às suas necessidades específicas. São elegíveis para esses programas os usuários  oriundos do programa de escolarização inicial da APAE Educadora; os transferidos de outras unidades congêneres ou oriundos da comunidade sem escolarização anterior; os usuários acima de 30 anos e os usuários idosos. Para esse grupo de usuários é indicada a construção de um currículo funcional, cuja finalidade é desenvolver ações educativas sociais que enfatizem o desenvolvimento da capacidade e habilidades que os tornem o mais independente possível, produtivo e consequentemente aceito socialmente. Dividem-se em Oficinas Ocupacionais, Pedagógicas, de salas de Convivência e de iniciação de um processo de Formação Profissional e de Treinamento Básico.

 

Programas Desenvolvidos:

Estimulação Precoce: operacionalizada pela equipe técnica, atendentes e professores/ monitores, beneficia crianças de zero a três anos, portadoras de paralisia cerebral, síndromes genéticas, malformações congênitas, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, desnutrição, que necessitam de atividades que venham desenvolver o seu potencial, para evitar ou atenuar o atraso no desenvolvimento integral da criança. 

Oficina Ocupacional: tem por objetivo que o usuário se expresse de forma lógica e clara. Busca desenvolver no usuário habilidades básicas e manuais para ingressar na profissionalização, bem como desenvolver hábitos de higiene relacionados: ao corpo, vestuário e meio ambiente. Consiste em oferecer maior variedade de experiências de trabalho em atividades práticas, complementares e acadêmicas para que o usuário, por meio de suas vivências, possa melhor definir seu interesse e desenvolver suas capacidades e potencialidades para vida e trabalho.  

Oficina Pré-Profissionalizante: Intitula de “Iniciação para o Trabalho”, através de ações voltadas para a identificação das potencialidades dos usuários, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias à atividade laboral; propiciando oportunidades de vivências que desenvolvam habilidades e interesses dos usuários para o exercício de funções profissionais, através de atividades manuais, desenvolvendo a capacidade de observar, selecionar, experimentar, utilizar, explorar e criar, dentro de ações da “Oficina de Artesanato em Pintura de Tecidos e Materiais Recicláveis, tapetes, fuxicos, cestos feitos de jornal, pintura de MDF”. 

Vivência: destinado a crianças, adolescentes e idosos com deficiência mental de conduta severa e autística, utiliza-se do método Teacch para o desenvolvimento das ações.

Oficina de Artes: a oficina de artes é uma ação que propõe o desenvolvimento de projetos especiais, objetivando o aprofundamento das diferentes linguagens artísticas e vivenciais para a realização de mostras, festivais, concursos, feiras e a preparação da pessoa com deficiência para o mundo do trabalho por meio da arte, visando à inclusão e reconhecimento social na família e comunidade onde vive. Neste sentido a APAE de Itararé criou o Grupo de Danças “Expressão é Arte”, “Oficina de Artes Plásticas e Visuais” e “Tela Viva”, sempre considerando a aptidão e o interesse de cada usuário.

 Equipe Técnica Interdisciplinar:

A equipe técnica e de apoio especializado é constituída de forma Multidisciplinar, com atuação coletiva e/ou individual sempre que se fizer necessário, com os assistidos, suas famílias e comunidade. É um serviço complementar ao trabalho pedagógico e profissionalizante, no sentido de cumprir os objetivos dos projetos educacionais/ sociais, e favorecer o pleno desenvolvimento das potencialidades e aprendizagens dos usuários que frequentam a APAE.

A equipe técnica é constituída por profissionais que atuam nas áreas de educação, saúde e assistência social, sendo responsável pelo acompanhamento do desempenho dos usuários, identificando situações onde seu conhecimento possa contribuir com a consolidação dos objetivos propostos em cada área de atuação (pedagógica e/ou social). A equipe técnica é composta por: 02 Psicólogas, 01 Assistente Social, 02 Fisioterapeutas, 01 Terapeuta Ocupacional, 01 Fonoaudióloga, 01 Dentista, 01 Médica Neuropediatra e 01 Nutricionista, cada qual com o seu planejamento, seguindo em especial o que consta no regimento interno, como de suas atribuições:

Setor de Psicologia: tem a função de contribuir no processo de avaliação de forma multidisciplinar fornecendo subsídios básicos para a organização dos atendimentos, orientação aos usuários, às famílias e aos professores/ monitores, contribuindo para o equilíbrio e o ajustamento nas relações destes. Além de ministrar palestras, reuniões de grupos familiares – grupos de conversa (juntamente com a Assistente Social e Terapeuta Ocupacional);

Setor de Fonoaudiologia: tem por finalidade contribuir para o desenvolvimento da fala e da linguagem para melhoria de suas funções e processo de aprendizagem nos diferentes contextos de comunicação;

Setor de Serviço Social: tem a responsabilidade pela acolhida, escuta, informação, comunicação e defesa de direitos, articulação com os serviços socioassistenciais entre outros, análise do ambiente socioeconômico e cultural, propondo e executando ações e mecanismos que visem à orientação e integração família- APAE- comunidade, assim como ministrar palestras, reuniões de grupos familiares – grupos de conversa (juntamente com a Psicóloga e Terapeuta Ocupacional);

Setor de Terapia Ocupacional: deverá promover ações que propiciem a inclusão da pessoa com deficiência na família, APAE, comunidade, no mercado de trabalho, desenvolvendo programas voltados para Estimulação Precoce e Oficinas Profissionalizantes, bem como atividades visando à maior independência e autonomia possível nas atividades de vida diária, trabalho e lazer, também ministra palestras, reuniões de grupos familiares – grupos de conversa (juntamente com a Assistente Social e Psicóloga);

Setor de Fisioterapia: desenvolve ações de prevenção, orientação, apoio e reabilitação, conforme necessidades do usuário e da entidade como um todo;

Setor de Odontologia: desenvolve ação preventiva, tratamento, manutenção saudável da dentição e orientação às equipes profissionais para o desenvolvimento das ações que promovam a saúde bucal dos usuários;

Setor de Neuropediatria: o objetivo é de melhorar e/ou estabilizar o quadro neurológico apresentado por cada pessoa com deficiência;

Setor de Nutrição: elabora o cardápio das refeições oferecidas na instituição, bem como dietas especificas no sentido de promover maior qualidade de vida aos  usuários.

 

PROJETOS:       

  • Oficina de Papel Reciclado: com o objetivo de confecção de produtos oriundos da reciclagem de papel, utilizando técnica básica de reciclagem, como blocos de papéis, capas para cadernos, portas-treco, pinturas em latas com decopagem, em caixas, de sapatos e demais materiais recicláveis;
  • Campanhas para arrecadação de fundos. (Projetos que contam com a coordenação da equipe técnica – Assistente Social, Terapeuta Ocupacional, Psicóloga e coordenadora Pedagógica);
  • Eventos com a participação das famílias e da Comunidade (Festa Junina, Semana Nacional do Excepcional, Festa de Final de Ano, Dia das Mães, Dia dos Pais, Feira de Artesanato, Boi no Rolete, etc.).
  • Projeto “Família na Escola”, o qual tem como um de seus objetivos buscarem maior participação e interação da família no processo educação/reabilitação de seus filhos (Projeto que conta com a coordenação da equipe técnica – Assistente Social, Terapeuta Ocupacional, Psicóloga e Coordenadora Pedagógica).

Valores

 

A Apae de Itararé recebe os seguintes repasses:

Recurso da Prefeitura Municipal de Itararé: R$ 444.960,00

Recurso da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo: R$ 292.693,76

Recurso da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social: R$ 93.470,40

Recurso do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome: R$ 69.660,00

Recurso da Prefeitura Municipal de Bom Sucesso de Itararé: R$ 74.160,00

Além de doações e contribuições de associados.

(15) 3532-2753 - apae_itarare@yahoo.com.br
nas redes sociais